Em formação

Eles devem parar de saquear as selvas filipinas

Eles devem parar de saquear as selvas filipinas



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Na ilha de Palawan, a natureza está mais intacta do que em qualquer outro lugar das Filipinas. Eles pretendem estabelecer plantações industriais.

Palawan é o lar de muitas espécies endêmicas, algumas delas, como musaranhos, bucerótidas ou pangolins em suas variantes locais, estão na Lista Vermelha de espécies ameaçadas.

A ilha é uma Reserva da Biosfera e ao sul abriga o território ancestral do povo indígena Pala'wan. Os grupos que habitam as terras altas têm pouco contato com o mundo. Eles têm uma rica tradição oral e um profundo conhecimento da natureza.

Apesar dessa riqueza ecológica e cultural, o Ministério do Meio Ambiente das Filipinas firmou uma joint venture com a empresa Lionheart Agrotech. Por meio dela, eles poderiam transformar florestas de várzea e terras agrícolas em plantações industriais de coco.

De acordo com a Coalizão Contra o Roubo de Terra (CALG), Lionhart já destruiu locais sagrados e cemitérios de povos indígenas, sem indenização por danos às comunidades afetadas.

Além disso, a empresa teria invadido a Paisagem Protegida do Monte Mantalingahan, uma das apenas dez áreas nas Filipinas designadas pela Aliança Global contra a Extinção de Espécies e uma das onze regiões mais importantes para pássaros em Palawan.

Como se não fosse terrível o suficiente, o governo provincial adotou uma resolução que promove ainda mais a abertura das terras dos povos indígenas e ecossistemas valiosos para o desenvolvimento agrícola e industrial.

Acontece em desrespeito às leis ambientais e em flagrante contradição com os direitos dos povos indígenas.

Por favor, apoie a resistência indígena e assine a petição:


ASSINE AGORA!

Fonte: Salve a Selva


Vídeo: PERUANO PROBANDO COMIDA FILIPINA POR 1ERA VEZ (Agosto 2022).